O lado escuro do sonho
                         (Cleide Canton)

 
      E dança o heróico povo brasileiro na corda bamba da alegria.
      Deus é mesmo bondoso!
      Abençoa nossa gente pisoteada pelo descaso, fazendo-a sentir-se o alvo das atenções.
      Ah! Meu Rio! Meu pedaço de beleza abraçado pela humildade de moradias sem qualquer condição de uso digno, resultado de quem buscou e não conseguiu, de quem se revoltou com o "não ter" e se propôs conseguir a qualquer custo, de quem ainda luta pelo amanhã e se decepciona, de quem, no esfumaçar das virtudes, se volta para o vício...
     Ah! Meu Rio! Terra de meus antecessores que aqui chegaram e se dedicaram ao cultivo da terra, ao ensino, ao trabalho honroso. O que pensariam eles se ainda estivessem entre nós?
     Realmente, hoje estou tendo uma "daquelas" visões.
    Com este grande prêmio que ganhamos - honra seja feita - vejo um futuro promissor. O sofrido povo, a começar pelos nossos atletas, terão o apoio que sempre buscaram e não conseguiram, para desenvolver suas capacidades, ao invés de buscar os vícios, de tal sorte que muitas medalhas virão e muitos, sem outras expectativas, terão seu lugar ao sol. Brilharão, nem que seja por alguns dias.
     O corpo policial será aprimorado, visto que a necessidade de combater o crime e a violência será primazia. Afinal, é obrigação nossa oferecer garantia de vida aos visitantes. Os salários terão que ser melhorados, o treinamento aperfeiçoado (estarão muito bem treinados para quaisquer situações equivocadas e balas perdidas não mais matarão inocentes, além de que deixaremos de ouvir justificativas como aquela que, para combater o crime, alguns inocentes acabam pagando mesmo). Viaturas, armas e munições estarão à altura para amedrontar os "fora-da-lei".
     Penso na fachada o nosso Rio de Janeiro, cartão de visitas do Brasil. Já vislumbro a maravilha que farão com o que já é lindo. Os hotéis estarão capacitados para receber o mundo todo (até lá, a imagem do Brasil de violências já estará apagada e ninguém mais sentirá medo) e o Copacabana Palace também não sofrerá assaltos em plena luz do dia.
     Já pensaram na Vila Olímpica? Imagino a faraonicidade! Quem sabe não farão dela, no depois, túmulo de grandes brasileiros, talvez até daqueles nomes honrosos que representaram a comitiva brasileira, junto a outros que se destacaram ou ainda vão brilhar nos noticiários dos dias atuais e subsequentes.
     Imagino o Cristo Redentor, aos pés do qual chorei todas às vezes que fui ao Rio. Não sei a razão de eu enxergá-lo pintado de amarelo para contrastar com o verde, debaixo do azul do céu salpicado de brancas nuvens. Cores do Brasil!
Imagino que, até lá, a grande maioria dos brasileiros estará realmente alfabetizada (porque hoje, alfabetizado é todo aquele sabe escrever o nome). Todos conseguirão ler e "decifrar o que estão lendo" e ninguém mais falará que sessenta e oito por cento dos nossos não entende o que lê na primeira passada de olhos.
     Imagino que ninguém mais ficará em filas para ser atendido em hospitais, ninguém mais morrerá em corredores por falta de médicos (claro que até lá, os nossos Salvadores de Vidas estarão ganhando muito bem e não precisarão correr de um Hospital a outro, ou à Clínicas, necessitando dormir durante as horas de trabalho porque não há outro meio de repor energias, a não ser através do descanso).
     Imagino que os professores (que serão muito bem alfabetizados) estarão em paz com seus salários e em plena harmonia com seus alunos. As falhas de todos os lados serão sanadas e, abraçados, pais e mestres seguirão o verdadeiro rumo para uma educação aprimorada. Cristovam Buarque sorrirá, enfim, e eu também.
     Com educação e saúde garantidas, as crianças brasileira, não apenas as do Rio, não estarão mais jogadas ao relento, ao "deus-dará", órfãs de pais vivos, pedindo esmolas nos corredores da vida, cheirando cola e aderindo aos vícios. O nosso brasileirinho terá seu lugar ao sol. Serão "crianças felizes vivendo a cantar, alegres a embalar seu sonho infantil".
     Vejo também como o nosso país subirá no ranking dos países menos corruptos porque o lugar que ocupa, na sua "transparência", não faz inveja a nenhum outro. Claro que os donos do poder e seus asseclas, tomados por um imenso sentimento de brasilidade, não mais pensarão em encher os bolsos, as cuecas e as calcinhas. Não mais dançarão para um público incrédulo quando um companheiro criminoso conseguir furtar-se à justiça. Pensarão no povo sofrido, driblando a vida com seus parcos salários, comendo o pão que o diabo amassou, esperando a vida toda por um direito garantido que a Justiça (que absolve o culpado e prende a mãe que rouba um pão para o filho), convenientemente morosa, não lhe concede.
     Vejo o imensurável lucro que esse prêmio nos proporcionará. Quitaremos nossas dívidas no ato e ainda sobrará muito para os próximos carnavais.
     Vejo que o nosso povo sorrirá, lá nos tempos das consequências, com todos os resultados positivos que advirão.
     Conseguiremos até utilizar a "prevenção" evitando ou minimizando catástrofes, tornados, enchentes, epidemias, e até recuperaremos nossa flora e fauna.
     Ah! Sonhos que me tomam, visões que me perseguem!
     Não sei quando deixarei meus pés no chão ou me convencerei de que necessito aumentar o grau das minhas lentes "depressinha".
     Deus meu! Faça esse milagre acontecer!
     Nós, aqui, ainda dormimos...

SP, 06/10/2009
11:00 horas

SP, 06/10/2009
11:00 horas

                                                    *********
 
Créditos:
 Midi: i_will_wait_for_you.mid
Imagem: Fazenda Santa Rita (uso exclusivo
do site OlhosDeLince. Proibido uso e reprodução)
 

*********

Clique na imagem e envie para até 10 pessoas

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

Home||Menu||Livro de Visitas||E-mail
 


webdesigner:
*Ja(Mulher)*


melhor visualização: 1024x768
 

 

                        Foto digital: Silvane Sabóia