Decreto do coração
 (Lêda Mello)

Chegou o momento de repensar.
Não tenho mais motivos para chorar,
perdi e perdeste o meu encanto.
Quero, agora, sorrir para a vida...
O brilho da lágrima esvaiu-se,
a emoção perdeu-se no tempo
e com as cores vivas do meu novo tempo
pinto a aquarela da liberdade.

Não há o que perdoar.
O que foi já não é.
Lembranças... talvez... talvez...
mas sem as amarras da incerteza.
Não me punirei por ser quem sou.
Permito-me o humano direito de errar
e assumo a responsabilidade
de haver amado um sonho.
Permito-me, ainda,
chorar todas as lágrimas sentidas
por todas as emoções verdadeiras
sem que, com isto, recuse a vida
e todos os riscos de amar
sempre!

Resumo toda a lei num único artigo:
não há proibições para o meu coração.
Quando o sentimento é amor,
permito-me correr os riscos
sem medo de ser feliz.
Deste modo, tal como o sinto,
selo comigo mesma o pacto da liberdade
de chorar, de sorrir, de amar,
de ser feliz.

Arapiraca (AL) - Brasil
 
*********
 
Créditos:
 Midi:moonlight_love
Imagem: Fazenda Santa Rita (uso exclusivo
do site OlhosDeLince. Proibido uso e reprodução)
 

*********

Clique na imagem e envie para até 10 pessoas

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

Home||Menu||Livro de Visitas||E-mail
 


webdesigner:
*Ja(Mulher)*


melhor visualização: 1024x768
 

 

                        Foto digital: Silvane Sabóia