(01)ISTO
Fernando Pessoa

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está em pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!

# # #

(02)AQUILO
Lêda Mello

Diz o poeta que não mente
Nem finge tudo o que escreve.
Da mente, lampejo breve,
Faz os versos que não sente.
Então, faz rimas somente?

Engana-se quando disfarça
No que escreve nas linhas,
Pois se lê nas entrelinhas
Tudo o que sonha ou passa.
Essa coisa é que devassa.

Escreva como escrever,
Disfarce como quiser,
Não há como se esconder
Nos versos que ele fizer.
Aquilo? Sente quem lê!

# # #

(03)Isto, Aquilo
by Cel (Cecília Carvalho)

Isto, aquilo
dito com sentimento,
saem com imaginação
do fundo do meu coração
se não for assim, não verso não ...

Isto, aquilo,
são coisas que podem estar perto
ou distantes, de mim
por isto sempre em meus versos
escrevo com sentimentos
e com o coração ...

Poeta não mente
escreve o que sente no coração
e sonha, pois em sua imaginação
seus versos são cama e cobertor
para quem o ler ...

# # #

(04)ISTO... ISSO
Luiz Poeta ( sbacem-rj ) - Luiz Gilberto de Barros
Às 23 h e 24 min do dia 29 de outubro de 2006,
 para as poesias de Fernando Pessoa, Leda Mello e Cecília Carvalho.

Tu és isto: epidérmica verdade
Que me beija, que me abraça, me cativa...
E eu sou isso: um silêncio, uma saudade
Que te vê real, amiga, amante... viva.

Eu te sinto...te desejo e, se não vens,
Fecho os olhos e te evoco, ah... eu insisto
E te tenho com tudo isso que tu tens;
Meu amor, sinceramente gosta disto.

Quando eu finjo que te vejo, estou sentindo
No meu sonho o teu amor mais verdadeiro
E se assim eu sou feliz, mesmo mentindo,
Eu repito este sonho passageiro

Somos isto: um contato, um encontro
Que ocorre dentro de um devaneio,
Quando a vida é sempre esse desencontro
Com o amor que nunca diz porque é que veio.

# # #

(05)AQUELE
Guida Linhares

Aquele que traceja versos,
se finge ou se mente,
não cabem reversos,
naquilo que sente.

Se fantasia ou imagina,
se reais são os sentimentos,
não importa, se fascina
aos leitores do momento.

Se são sonhos prisioneiros,
que na alma tem morada,
ou apenas sutis passageiros,
em busca de uma parada.

O que importa realmente,
o que da pena se transmite,
na emoção que simplesmente,
do encantado verso se permite.

# # #

(06)…E aqueloutro
Eugénio de Sá

Manifesta-se um poeta insensível
ao que escreve
Como um pena que traça a sentida dor
sorrindo
Como se fosse possível tornar a desgraça
leve
Ou descrever a miséria de um palácio
grande e lindo

Há realidades na vida impossíveis
de aceitar
Como um amor rejeitado num coração
desprezado
Quando o quisermos contar mesmo sem ser
a rimar
Fica-nos o gesto irado e intuí-se a desventura
Com o cerne revoltado


Como encontrar sujeição aquilo que o poeta
afirma
Se também somos poetas e cantamos a
saudade
E os sentimentos mais belos os que sorriem
à rima
Não podem estar alheados da mão que conta
a verdade

# # #

(07)AQUILO E ISTO
Lara Cardoso

Tudo aquilo que sempre sonhei
aos olhos de tantos, não era verdade
era apenas sonho, banalidade
que perdido no tempo, deixei...

Nunca soube se aquilo foi amor
ou, simplesmente, pura amizade
que, sem nenhum despudor,
acabou virando infidelidade;

Nem vem ao caso agora,
aquilo tudo foi um capitulo à parte
ficou a incerteza, que comigo mora
e, faz tudo isto virar arte!

# # #

(08)Mais que isto!
Maria Thereza Neves

Algo mais além que isto
ou aquilo
não importa se minto
ou fantasias visto...

Sou poeta das esquinas
das ruas compridas
esculpindo máscaras-sonhos
enfeitando a vida da alma

Sorrindo ou chorando
nas arquibancadas ou espelhos
sou palhaço-espantalho
ator-pintor.

31/10/06

# # #

(09)Também isto !
Mercília Rodrigues

Também isto, insisto
guardo-me com aquilo
que disseste sempre;
o coração, fiel, não mente !
E o poeta, que esteta ,
disfarsa na poesia que desmente...
Na solidão dos versos reticentes,
escorrem rimas arrumadas,
no sentir também isto, de repente
chora a própria dor que é versejada !

# # #

(10)Isto ou Aquilo
Iracema Zanetti

Se tu finges ou mentes
Em tudo o que escreves, não sei.
Porém, é um direito que tens.
Mas mentes ao dizer
Que ao escrever...
Apenas usas a imaginação.
Sem sentimentos...
Onde a magia de teus versos?

Se tu comparas teus sonhos
Ou o que passas, com um terraço
Sobre outra coisa ainda,
E a vês como linda,
Digo que tua imaginação
Não passa de um embaraço.

E de embaraço a embaraço
Tentas disfarçar tuas loas...
E sem recato das um nó,
Ou quem sabe um leve laço?
Em meio a tantas dúvidas
Nem sabes se é sério ou não é.
Sentir o quê?
Se tu mentes a tanta gente
E até a mim enganaste?

# # #

(11)Não mais que isto!
Eliane Triska

Qualquer coisa que digo
na mentira-leviandade ou
na verdade-infinda
serão sempre metades
ainda!

O escondido não se lê
no que minha alma importa
e só para o que não crê
se mostra!

Porque aquele que vê
na cinza
sem ser
fêz-se linda!

31/10/06

# # #

(12)Ou... Ou...
Eme Paiva

Aquilo que penso e vivo
nada tem a ver com as palavras,
que estas são um calhamaço
de folhas vazias incruéis,
ou estão nas frases mais velhas!...
Mesmo assim,
ou se escondem de mim,
ou me ocultam!...

De qualquer forma
frases que se elaboram,
são-me tintas muito infiéis...
Não acertam a minha nuance:
ou me mostram nua,
ou me borram,
quando me vestem....

31.10.06

# # #

(13)ISTO OU AQUILO...
zuleika


Meu poeta fingidor,
Não importa se isto é aquilo,
Se aquilo isto é ...
Importa buscar na razão
A essência de ser quem é...
Dizer a palavra esquecida,
Aquela que salta e pula,
Que não mente...
Mas sabe enganar a gente ...
Repetir em versos dolentes
Aquilo que a gente sente ...
Na rima, discretamente....

01-11-06

# # #

(14)Isto, Aquilo...
José Alberto Costa

Isto, Aquilo...
Dito assim tão livremente
parece a palavra certa
murmurada em cena aberta
porque poeta não mente.

Isto, Aquilo...
Flui o verso docemente
na palavra que liberta
clamada em praia deserta
diz que poeta não mente.

Isto, Aquilo...
Sai do coração fremente
rasgando a veia encoberta
a mais nobre descoberta:
jamais o poeta mente.


(Para Lêda Yara Mello às 21 horas do dia 01.11.2006,
direto da aldeia de Maceió - Alagoas)

# # #

(15)Isto é Isto
(OlhosDe£in¢e)

Na vontade de escrever
Vem a verdade do coração
Vem os sonhos enfilerados
Vem a esperança embrulhada

Isto é isto
O coração falando de amor
Na lágrima que desliza
No amor que se vai
Na saudade que acena
Na lembrança do que se foi

Isto é isto
O reflexo do que se sente
No fluir da inspiração
Em momento do próprio coração
Que chora ou sorri.

Isto é isto !

Curitiba/Brasil
1/11/2006

# # #

(16)ISTO OU AQUILO...
Edson L. Nascimento

Isso ou aquilo são formas
de expressar sentimentos
e razões do coração
que o próprio coração
desconhece...

Isto ou aquilo são formas
de viver com o que
não se tem e
transformam em escritas
as fantasias que
não se realizam ou que realizam
e jamais se conseguem
esquecer...

# # #

(17)ISTO, AQUILO...TUDO NA POESIA!
Rosângela do Valle Dias

Tantos versos encantam o querer,
palavras transmitem força,
sugerem canções, velam sonhos...
No romper da madrugada, as estrelas choram de pesar.
Enxergam, do alto, os amores inacabados, pelas poesias!
Tanto sentir no papel, na tela ... fantasias!
Do outro lado alguém espera, anseia pelas letras que chegam...
Chegam e formam ilusões, traduzem emoções.
Poetas! Ah, Poetas!
Entregadores de sonhos irreais;
cativantes de quereres abissais.
Portadores de sombras nas ausências!
Poesia de dois lados:
no verso, um brilho intenso,
na vida ...solidão de sóis!
Versos que querem e não dizem!
Anversos que dizem e não querem!
Poetas e suas poesias...
Tantos enfrentam suas conquistas,
levam a vida a sorrir...
O amor existe ,sim!
Outros
escondem -se nas entrelinhas do real viver!
Não se preocupam com o que cativam,
são secos, lacônicos...
Cegam, ensurdecem e matam uma alma.
Ah! Poesia!
Perdida fantasia!
O amor nasceu, cresceu e ficou
num poeta... Poesia...

BH/MG
2006

# # #

(18)AQUELA...
Elisa de Andrade

Não importa o que digam
E sim tua bela arte
Com criação destarte
E alma, sempre bendigam

Se é sonho ou realidade
Siga com realeza
Pois sempre é uma beleza
Sonhar com raridade
Te faz ter a certeza
De estar com a verdade

E estando nesse meio
Leia como quiser
Sinta como puder
Pois já que você veio
Mostra que és mulher!

Petrópolis - RJ.

# # #

(19)MAIS QUE ISTO
Luiza Porto

Sem mentiras ou fantasias
escrevo versos sem rima
deixo rolar a imaginação
ou muito mais que isto.

Sonhando, escrevendo
mandando recados de amor
ou versos de despedida
deixando fluir emoções
ou mais que isto.

Poetando sem mentiras
sonha meu coração
saindo toda a magia
sou fingidor ou não.

# # #

(20)Isto e Aquilo!
Bernardino Matos.

Se alguém escrever o que não sente,
se o que pensa sua alma não reflete,
ele jamais será poeta,pois desmente,
seu próprio eu, só palavras repete.

A força do poeta vem da integridade,
alma, mente, emoção, expressam,
sua busca incessante da verdade,
a dualidade, a incoerência, cessam.

O problema não se trata, realmente,
em dizer isto ou aquilo, por dizer,
viver no imaginário é ser demente,
a poesia expressa a beleza do viver.

O poeta não fala da dor, ele sente,
ele bate forte,sem perder a ternura,
ele expõe sua alma, ternamente,
Deus o fez o antídoto da amargura.

Isto ou aquilo, são alternativas,
o poeta não dá guarida à indecisão,
disfarces geram situações aflitivas,
o poeta expressa o amor, não a desilusão.

Fortaleza, 18 de julho de 2006.

# # #

(21)ISTO AQUI SERÁ A VIDA?
Marcial Salaverry

Meditar sobre a vida...
A vida deve apenas ser vivida,
para que tenhamos sobrevida...
Sobre vida pouco há que se dizer,
além de a viver...
Sentir que ela existe dentro nós,
no sangue que corre em nossas veias,
no amor, que existe em nosso interior,
nos sentimentos, e também nos lamentos
que agitam nossa alma, naquilo que nos acalma,
ou que nos irrita, deixando-a aflita...
A vida, apenas deve ser vivida,
enquanto a tivermos dentro de nós...
Apenas, tornemo-la amena,
vivendo-a de forma serena...
Sem mágos ou rancores,
que só nos causam dores...
Vivamo-la com amor,
afastando-nos da dor...
Fugindo de qualquer depressão,
que atormente o coração...
Não se pode ser depressivo
para um viver sempre ativo...
Sem ao desespero se entregar,
é melhor para viver e amar...

Marcial Salaverry
Santos - 23/09/2004

# # #

(22)PENSANDO NAQUILO
Gui Oliva

Escrevo e me redimo, não mais finjo
versejar só sonho isto ou aquilo?

amparar emoções nessa virtualidade
irreal é isso, aflorar sensações

canto a realidade, bem pior do que dito,
exijo a verdade, enfrentando-a fito

e assim versejando, converso, me aprumo
e pensando naquilo eu tomo meu rumo

maliciou? não esqueça, o poeta é fingidor
já versejou Fernando Pessoa,

em quem penso, eu o sinto, e rio à toa
é com ele mesmo que sonho rimar
ao encontrar... ele sim... o Amor!

# # #

(23)Tudo isto, mais aquilo...
Fernanda Pietra

Tudo são palavras
Registradas pelos poetas
A divagarem pelos sonhos
Outras vezes pelos amores

Tudo é emoção...
Isto, este aquela
E mais alguma coisa
A aquietar a imaginação

Poetas, palavras
Música, orquestra
A embalar o coração
Daquele que ama

E mais palavras, dizem tudo
Algo mais,
Mais além,
Mais alguém

Mais alguém que escreve
Que lê, chora ou ri
Sou tudo isso
Mais tudo aquilo
Decifra-me.

Fernanda Pietra

www.fernandapietra.com

# # #

(24) Sinto Isso e Falo Aquilo
Sandra Lúcia Ceccon Perazzo

As vezes sou um só coração...
Meus pensamentos e minhas emoções
têm apenas uma direção
Outras vezes sou muitos corações

Ardo em contradição
Ando no chão da inocência
Levito no céu da malícia
Sou tudo que percorro, ainda que na contra-mão

Todos os meus sentimentos se iluminam
Sinto isso, falo aquilo; sinto aquilo, falo isso
São todos os meus corações que palpitam
na alma que permaneço

Reconheço-me apenas quando escrevo
Permito que brote em mim
os horizontes que morro
os poentes que renasço

Grafitando comovida
sou uma alma com muitos corações
que escuta e canta todas as canções
escaladas em papiros da vida

Sem qualquer mentira
com ou sem imaginação
sou sol de um novo dia
sou também noite fria

Sou isso, sou aquilo
Sou devaneio
Sou curva para chegar na reta
Sou apenas poeta

Sperazzo
06/11/2006

# # #

(25) Isto é isto...
Ramoore

Isto traz aquilo no que insisto
E da palavra solta eu persisto
Sem deixar do caminhar não resisto
Paro do olhar em volta fico nisto

Crio devaneios livres do dolo cisto
Preso em sonhares do não ser misto
Perguntas ao coração se existo
No pulsar de linhas qual anticristo

Fico do verbo construído disto
No desencontro d’alma eu revisto
Sem cores comuns o ser imprevisto

Respondo da razão não ganhar visto
Em lágrimas da fuga eu desisto
Abraça-me. Diga, o que foi isto?


# # #

(26) É ISSO ...
Cleide Canton

Se finge o que sente
em linhas sem senão
o que faz? Mente?
Poeta tem perdão
se diz sim, se diz não.

Se o seu terraço cobre
aquilo que sentiu
a tua causa é nobre
se ninguém se feriu.
Duvido que mentiu!

Entrego ao travesseiro
apenas minha prece.
Somente escrevo inteiro
o que, em meio, fenece.
Quem lê, depois esquece.

SP, 07/11/2006
17:40 horas

# # #

(27) NÃO É NADA DISSO
Célia Jardim

O papel aceita tudo
muito fácil é escrever
difícil é ver o conteúdo
naquilo que não se lê
onde os olhos não podem ver

Uma coisa é falar
outra é saber sentir
ler, reler, interpretar
sem conseguir se ouvir
passar, repassar, repetir
no final nada concluir

Sem dizer quase nada
uma palavra diz tanto
só precisa ser pensada
gera o riso e o pranto
palavras - quanto encanto!

# # #

(28) Aquilo

Faz frio.
Dentro e fora.
O inverno se adianta sombrio.
Busco algum sentimento agora,
Mesmo um ódio arredio,
Nada aflora.
Nem dor que chora,
Nem amor luzidio,
Nem pranto pouco,
Nem sorriso torto,
Nem um canto barroco,
Nada! Só o oco.
Vazio amnéstico.

(Tereza da Praia)
(Série: ponto de fuga)

# # #

(29) Nisto

E eu?
Que entre o Isto e o Aquilo
Sinto um imenso vazio...
Sem saber como prover
minha imaginação.
Se não a consigo sentir
Imaginar nem pensar.
Necessito sentir nisto
Tanto o oco quanto o fugidio...
Tudo o que me satisfaz.
Que eu sinta a cada um
Por inteiro.
Pois por metade-sentires
Não me permito ficar.

LianeNiremberg
maio de 2004

# # #

(30) ENTRE...

Entre isto, aquilo...
Nisto. Disto...
Desconheço-me.
Vazios de mim...
Soçobrada, debato-me.
Inóspito sentir,
Que parece não ter fim.
Buscando integralidade
Perco-me em racionalidade,
Tentando ao desvendar,
Atingir intensidade...
-Onipotente precipitar-
É o depois, que este nada concebe.
Este nada,
Sou eu potencializada!

Rosany (Plenytude)
CG 20/5/2004 21:26:30

# # #

(31)Isso ou Aquilo
Efigênia Coutinho

Sendo uma multiplicidade
é vida quando recolhe os
sonhos para voltar sonhando!

Sonhando que trás com beleza
todos os sonhos de esperança
fazendo uma gigante aliança...

Sendo os sonhos multiplicados
com fiel cristalinidade, fazem
da espera a esperança chegar!

Isso ou Aquilo, na tentação de
romper mais uma vez estruturas
e poder ser tudo Isso ou Aquilo!

Balneário Camboriú
Novembro 2006

# # #

(32)OU ISTO... OU AQUILO...
Nídia Vargas Potsch

Entre o eu e o mim
quem decide ...?

Entre a Razão e o Coração
quem dirige ...?

Entre o Ser e o Estar
quem resolve ...?

Entre o isto e o aquilo
quem escolhe ...?

Duas metades que se encontram
e precisam se entender ...
Escrever com alma e coração
eis a questão.
A dor sublimada, insensível por vezes,
camufla a emoção contida.
Mais fácil seria
liberar as amarras do preconceito e
como mágica, levar adiante
o momento traçado e ditado pelo Coração.
Mas o Poeta não o quis.
Preferiu usar a Razão
poque ela comanda nosso Destino.
Mas, ao final das contas, é o
Coração quem controla e decide tudo o mais ...

Nidia Vargas Potsch
@Mensageir@
Rio, 8/11/2006

# # #

(33) ISTO A VOCÊ
Diógenes Pereira de Araújo

Dizer que eu finjo ou minto quando escrevo
não é verdade, eu com sinceridade
sinto que ponho aqui toda a verdade,
porque, se não puser, sinto que devo

A dor que eu sinto e toda a humanidade
é o sentimento atroz amplo e longevo
de não poder se alçar ao alto enlevo
dos píncaros excelsos da bondade

Tudo que eu sonho ou passo e um dia finda
escrevo num papel. Após o amasso
e deixo estar num canto do terraço

Devo dizer-lhe aqui, baixinho, ainda:
tudo que escrevo, escrevo a quem me lê:
tudo que escrevo é isto: é pra Você

diogenespereiradearaujo@gmail.com

# # #

34) ISTO
Jorge Humberto

Ter asas, e não voar,
Nem em sonhos ousar,
É como estéril terra,
Onde a inanidade medra.

Que segurança longe pomos,
Se não arriscamos
No que temos?

Este é o dia
E não o vivemos.

Isto
É quem nós somos.

Jorge Humberto
in Assim AS Palavras Livres

# # #

(35) O POETA DO SEU TEMPO
Mário Osny Rosa

Poeta daquele tempo
Que não volta mais.
Ele cantou seus ais
Tinha um temperamento.

Em sua poesia falava
Poeta era mentiroso.
Se isso era verdade
Poeta logo não amava.

Na pessoa de Fernando
Do Fernando Pessoa
Seu brado hoje ecoa.

Sua poesia relembra
Uma época remota
Na visão do poeta.

São José/SC, 11 de novembro de 2.006.
morja@intergate.com.br
www.mario.poetasadvogados.com.br

*********

Clique na imagem e envie para até 10 pessoas

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

Home||Menu||Livro de Visitas||E-mail

OlhosDe£in¢e


webdesigner:
*Ja(Mulher)*