Ainda que me travem as mãos
(Marilda Conceição)

Mesmo que me travem as mãos,
mesmo que me tirem o papel e a caneta,
mesmo que me calem a voz,
ainda assim,
declamarei em grito mudo minhas poesias;
porque, do meu coração,
não podem arrancar os sentimentos.
Nem em minha alma
poderão matar a sensiblidade
que me faz poeta.

Dia da Poesia/2005


*********
 
Créditos:
 Midi: Good Morning My Love - Ernesto Cortazar
Imagem: Fazenda Santa Rita (uso exclusivo
do site OlhosDeLince. Proibido uso e reprodução)
 

*********

Clique na imagem e envie para até 10 pessoas

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

Home||Menu||Livro de Visitas||E-mail
 


webdesigner:
*Ja(Mulher)*


melhor visualização: 1024x768
 

 

                        Foto digital: Silvane Sabóia